Gammer

Compra já
Artist

Como a maioria dos artistas da sua geração, o produtor / DJ Gammer (nascido Matthew Lee) foi introduzido à música eletrónica através das batidas telúricas da cena hardcore britânica, há cerca de duas décadas, à altura, uma criança que crescia ao ritmo da sua cidade natal, Northampton, Inglaterra. Anos após este inaugural momento de descoberta de toda uma nova esféra musical, tornar-se-ia, ele próprio, uma das principais figuras da cena. Foi já considerado um dos principais artistas hardcore do Reino Unido e um dos produtores mais prolíficos do género. A provar essa mesma ascensão estão as distinções que foi arrematando: Gammer já venceu o cobiçado título de melhor Hardcore DJ pelos Hardcore Heaven Awards em seis edições consecutivas. Paralelamente a este reconhecimento, importa realçar o labor nas suas próprias labels de hardcore - Muffin Music e Together We Rise, sendo a última co-fundada ao lado de alguns dos monstros sagrados do género happy hardcore, estilo no qual é creditado como um ícone maior e fundador.


Avançando rapidamente para os dias de hoje: Gammer inaugurou o seu mais recente capítulo artístico ao exorbitar a subcultura hardcore, experimentando novos estilos e texturas. Nos dias de hoje, Gammer não se impõe quaisquer constrangimentos estilísticos - nenhum som está fora do seu domínio.


Em 2016, Gammer inovou e começou a experimentar em géneros tão diversificados como o dubstep, trap, psytrance e bass music. A sua remistura colaborativa, ao lado de Darren Styles, para a “Born Again” de KAYZO, apresenta todas as marcas autorais de Gammer: secções rítmicas frenéticas, sintetizadores feéricos, compassos síncopados, tudo mesclado sobre uma tela do dubstep mais demolir. De resto, o seu trabalho de remistura de 2017 para "Superhuman" dos SLANDER, que conta com cerca de 4 milhões de escutas no Spotify, alia linhas de baixo envolventes aos alucinantes contrapontos devedores da psytradance, ao passo que “Party Don´t Stop”, atualmente com 2,6 milhões de escutas no Spotify e 1,5 milhões no SoundCloud, revela cabalmente o resultado do trabalho de Gammer ao lado de lendas como Darren Styles e Dougal numa estrondosa detonação melódica.


Mais recentemente, Gammer urdiu um inaudito som hardstyle de fusão verdadeiramente impossível de classificar. Em “Over the Edge”, uma colaboração com o DJ KAYZO, Gammer mistura as linhas vocais - informadas pela pop - da cantora AU8UST, sobre uma brilhante estrutura de house futurista e de batidas melódicas contagiantes; até à data, a faixa contabiliza mais de 3,4 milhões de escutas no Spotify.


A discografia de Gammer inclui o The Drop EP 2017, pela Monstercat, encimado pela
faixa com o mesmo título, e que conta com mais de 3,5 milhões de escutas no Spotify. Hino globalmente celebrado nos últimos dois anos, "The Drop" converteu-se na faixa mais tocada
no EDC Las Vegas 2018, e uma das músicas mais populares no Ultra Music Festival
2018 em Miami. No que respeita a remisturas, Gammer já emprestou a sua gramática a todos os titãs da EDM, tais como Marshmello e Jack Ü, e a pesos pesados da música eletrónica, como Porter Robinson e A-Trak & Baauer, para além de ter lançado músicas e remisturas originais para os mais consagrados selos do género: Ultra Music, Fool’s Gold, Monstercat, Insomniac Records, e mais recentemente, pela Premiere Classe Records, casa-mãe do DJ Snake.


Enquanto performer e DJ, Gammer alcançou já uma projeção global, conquistando uma fiel base de seguidores planetária ao longo dos últimos anos. Os seus sets ricos na profusão de géneros têm sido amplamente validados nos maiores festivais por todo o mundo - incluindo prestações de elevada octana no Creamfields do Reino Unido, EDC Las Vegas, EDC México e Global Gathering, entre
outros, para além das suas digressões a solo pela América do Norte.


Em qualquer set concebido, Gammer percorre uma gigantesca paleta de géneros e sons, desde as assinaturas da trap, passando pelo dubstep e pelo seu umbilical hardcore. Gammer é
também reconhecido pela sua técnica virtuosa enquanto DJ atrás dos decks, mostrando dotes mágicos em misturas altamente complexas, sobreposições experimentais, double drops e até mesmo arriscando beat-making ao vivo.


Gammer é dono de uma linguagem autoral camaleónica que só pode ser definida enquanto algo de absolutamente indefinível e sempre imprevisível. A sua pulsão experimental é transversal a todos os géneros e estilos; um criador ímpar que constantemente incorpora novas formulações a uma cultura que, pelas suas mãos, se torna cada vez mais global.